sábado, 2 de fevereiro de 2013

Fostes, comestes, fizestes

"Tu ontem fostes trabalhar?"
"Já comestes algum prato japonês?"
"Não me digas que já fizestes asneira!"
"Andastes sempre com o gorro?"

E, etc, etc, etc, ...
Até há uns anos pensava que "só" as pessoas menos instruídas davam este pontapé na língua portuguesa, mas a realidade é que não é isso que se passa. Pessoas com formação, incluindo formação superior, falam assim. Gostava de perceber como é que esta moda começou. Diz-se que se deve cortar o mal pela raíz. Talvez fosse possível terminar com este disparate. Mas será que quem fala assim acha que é giro ou chique? Ou pior, acha que é o correto? Esta "variação" ocorre no tempo verbal pretérito perfeito, ou seja, no passado, na 2ª pessoa do singular.

Vamos ver como se conjuga corretamente alguns verbos neste tempo verbal.

Fazer
Eu fiz
Tu fizeste
Ele fez
Nós fizemos
Vós fizestes
Eles fizeram 

Comer
Eu comi
Tu comeste
Ele comeu
Nós comemos
Vós comestes
Eles comeram

E agora os mesmo verbos, mas mal conjugados.

Fazer
Eu fiz
Tu fizestes
Ele fez
Nós fizemos
Vós fizestes - arrisco-me a dizer que dizem fizesteis
Eles fizeram 

Comer
Eu comi
Tu comestes
Ele comeu
Nós comemos
Vós comestes - arrisco-me a dizer que dizem comesteis
Eles comeram

Durante muito tempo esta questão e outras semelhantes de erros frequentemente dados na língua portuguesa, não me incomodavam por ai além. Sabia que as pessoas estavam a falar de forma errada, mas isso acabava por ser um bocado indiferente. Mas à medida que o tempo foi passando e ouvia mais e cada vez mais erros deste género, comecei a "não gostar". E mais recentemente comecei mesmo a ficar algo aterrorizada com a ideia de que o meu filho cresça a ouvir falar desta maneira, e também ele acabe por falar assim.

Como verão, sou algo fanática com a ideia de que se deve falar e escrever português corretamente. Acho mesmo que pouco vale que um engenheiro faça uma ponte fantástica, por exemplo, se depois dá erros atrás de erros quando fala ou escreve em português. Para mim é tão básico quanto isto: o português é a nossa língua, é algo que aprendemos desde muito pequeninos e se não sabemos fazer um uso correto dela, como convencemos alguém de que dominamos outra matéria que apenas estudámos durante meia dúzia de anos? 

Quero fazer a ressalva que também eu, de tempos a tempos, lá dou as minhas calinadas. Ninguém é perfeito e nem mesmo eu, que procuro a perfeição no português falado e escrito, estou livre de erros. Mas tenho o cuidado de ir aprendendo e de evitar dar os mesmos erros. Talvez de uma próxima vez escreva sobre aqueles que já foram os meus erros mais comuns e sobre quais são os atuais (principalmente agora com o acordo ortográfico de certeza que até este texto não está livre de erros).

Quanto a vocês, dos que estão a ler e que usam sistematicamente o tu fostes, tu fizestes, tu comestes, parem para se ouvir a vós mesmos. É que não é nada bonito nem chique falar assim. Fica feio, soa mal. E se estiverem para ai virados, comecem hoje mesmo a fazer um esforço consciente para passar a dizer tu foste, tu fizeste, tu comeste.

1 comentário:

  1. isto é uma praga linguística que se espalhou e não há ninguém que a trave...

    ResponderEliminar